Obesidade infantil! A prevenção começa dentro de casa!

obesidade infantil

Antigamente quando a criança era gordinha era sinônimo de criança saudável, hoje já sabemos que isso não é verdade.

A obesidade é uma disfunção que assusta cada vez mais pelos seus índices, no Brasil e no mundo. Segundo os dados da Organização Pan-Americana de Saúde, da SBEM, “as pesquisas populacionais têm registrado um alarmante aumento na incidência de obesidade no Brasil nas últimas três décadas”. O documento mostra que, entre 1975 e 1997, a prevalência da obesidade no Brasil aumentou de 8 para 13% em mulheres; de 3 para 7% em homens; e de 3 para 15% em crianças. Estes números mostram que a prevalência de obesidade infanto-juvenil no Brasil subiu 240% nas últimas duas décadas.

A principal causa da obesidade infantil é: alimentação inadequada e pouca atividade física (sedesntarismo) e ou uma combinação desses fatores. Menos de 5% dos casos se deve a doenças endocrinológicas. A hereditariedade pode ser um fator de risco, mas ela só se manifesta se o ambiente permitir. Em outras palavras, a genética só se manifesta se o ambiente for favorável ao excesso de peso.

A criança que cresce com sobrepeso e obesidade não tratada tem uma grande possibilidade de ser um adulto doente. A obesidade gera doenças associadas como hipertensão, diabetes e várias cardiopatias.

É aí que está a nossa responsabilidade como mães, pais e cuidadores de crianças, nós devemos ficar atentos não só à qualidade dos alimentos fornecidos, ofertando principalmente alimentos naturais, como frutas, verduras e legumes, como com a quantidade de exercício feito por ela no dia a dia.

Pequenas mudanças na rotina da família fazem uma grande diferença na saúde de nossos filhos:

Invista nas frutas, legumes e vegetais.

Prefira alimentos integrais aos refinados.

Evite alimentos como biscoitos, bolachas e refeições prontas. Elas são ricas em açúcar, sódio e gorduras – tudo o que sua filha ou filho não pode comer em excesso.

Limite o consumo de bebidas adoçadas, incluindo os sucos industrializados. Essas bebidas são muito calóricas e oferecem poucos ou nenhum nutriente, ofereça sucos naturais de frutas.

Reduza o número de vezes em que a família vai comer fora, especialmente em restaurantes de fast-food. Muitas das opções do menu são ricas em gorduras e calorias.

Sirva porções adequadas, as crianças comem bem menos do que os adultos. Se sua filha ou filho não conseguiu comer todo o prato, não o force a terminar, cada um sabe a hora que está saciado.

Pratica de atividade física

Além de queimar calorias, os exercícios físicos também ajudam a fortalecer os ossos e músculos das crianças, melhoram o humor e ajudam no sono. Outro fator importante é que o incentivo à atividade física na infância pode fazer com que a criança mantenha esses hábitos no futuro, evitando a obesidade ao longo da vida.

Crianças devem fazer pelo menos um tipo de atividade física todos os dias, seja ela programada (academia, futebol, natação e ou aulas de dança, por exemplo) ou não programada (brincadeiras, como pega-pega, esconde-esconde e parques ao ar livre).

Nós acima de tudo temos que ser o exemplo para os nossos filhos, afinal, se nós pais não possuímos hábitos saudáveis, a criança também não os terá, não é mesmo?

Então, se você gostou do que leu aqui, se inscreva aqui no nosso site para receber em primeira mão, nossas dicas fresquinhas e não se esqueça de deixar seu comentário aqui abaixo, ele é muito importante para mim. Beijo grande e até a próxima.

Escrito por Karine Alves

Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Blog da Saúde do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta